Lidando com a depressão masculina: cuidados com a sua saúde mental

A depressão é um conjunto crônico de alterações profundas do humor, que podem causar uma série de transtornos que afetam a qualidade de vida do nosso dia a dia. Nos tempos atuais, ela se tornou uma das grandes protagonistas entre os debates sobre saúde do homem e, cada vez mais, a depressão masculina tem sido endereçada por especialistas e cada vez mais homens têm falado abertamente sobre o assunto como forma de compartilhar ajuda.

Quer saber mais sobre o assunto, como identificar os sintomas e obter ajuda? Se liga no conteúdo que preparamos para você:

Identificando os sintomas da depressão

Sintomas da depressão

Uma vida balanceada passa por momentos de melancolia, distanciamento e até desesperanças. Mas, quando esses sentimentos começam a se tornar rotina, quando os pensamentos negativos se tornam uma obsessão, ao ponto de fazer parecer impossível pensar em outros cenários e possibilidades para a vida, aí o sentimento torna-se problema.

Quando tudo isso começa a afetar também a sua saúde, seu sono, seu apetite, seu interesse pelas atividades do dia a dia, então é importante puxar o freio de mão e começar a considerar olhar mais profundamente para todos esses sinais que o seu corpo e a sua mente te dão.

Como já dizia o poeta, “nenhum homem é uma ilha” e buscar ajuda, ao invés de vergonha e sinal de fraqueza é, pelo contrário, um sinal de resiliência, de autoconhecimento e respeito próprio.

Por que buscar a ajuda de um profissional?

A depressão é diferente das doenças físicas que visualizamos em um exame, começamos um tratamento com medicamentos e vamos cuidando até que ela se estabilize ou desapareça.

A depressão é um transtorno do chamado espectro bio-psico-social. Ou seja, ela afeta nossa saúde biológica, a saúde mental e a saúde das nossas relações sociais. Essas três estão muito conectadas, por isso o tratamento da depressão masculina passa por todos eles.

A terapia é um grande alívio para ajudar a organizar nossos pensamentos, ter ajuda para identificar as raízes dos nossos problemas afetivos, sentimentais e como perdemos o controle deles. O psicólogo é um profissional com muitos instrumentos para ajudar na busca pelo autoconhecimento.

É normal sentir receio, vergonha ou não saber por onde começar. Você pode começar de forma simples e ir criando confiança, descobrindo coisas sobre você e, claro, se entendendo melhor. A verdade é que todos nós deveríamos fazer terapia com alguma regularidade: é uma maneira de diminuir nossos fardos do dia a dia, buscar a cura através da palavra!

Os transtornos depressivos não vêm apenas dos traumas ou grandes estresses sociais. Nosso equilíbrio químico e neural é cada vez mais delicado e a medicina avançou muito em medicamentos que ajudam na inibição da ansiedade, na qualidade do sono, da libido, da disposição física.

Os sentimentos têm uma influência enorme sobre o corpo, e o corpo e a mente podem se adoecer de forma viciosa, então você precisa ter um cuidado especial, associando os dois tratamentos e não perdendo a disciplina.

Mantenha contato com as pessoas

mantenha contato

Uma das principais tendências durante os episódios depressivos é se isolar. Temos medo de que as pessoas nos estranhem ou às vezes a gente não tem muito o que falar, ou acabamos falando demais de coisas que não nos fazem bem.

Os bons amigos e a família certamente vão ter a paciência que você precisa deles. Mas é importante você informar que está passando por essa fase, dizer que gostaria de companhia.

Aproveite para fazer coisas simples: não tenha medo de passar alguns momentos em silêncio, só contemplando. É importante ter um tempo singelo, de qualidade, conhecendo as pessoas próximas de nós de uma maneira nova, em uma situação diferente da qual geralmente estamos.

Evite ao máximo se isolar. Quando estamos desesperançosos ou com pensamentos obsessivos, o isolamento pode agravar esses sentimentos e fazer eles maiores do que parecem.

Fuja do álcool e demais drogas

Todo mundo sabe que as drogas causam sérios problemas. E isso é ainda mais verdadeiro quando ficamos vulneráveis. O álcool, o tabaco e demais drogas deprimem nosso organismo. É por isso que, no primeiro momento, o entorpecimento parece bom, mas, depois, cria um abismo e só acaba aumentando o vazio, além de destruírem a saúde física e mental.

As drogas alteram nosso estado normal de raciocínio, sendo uma armadilha para pensamentos suicidas e cheios de negatividade.

Dê um tempo de qualidade para si mesmo

relaxamento

A depressão suga nosso tempo. Acabamos passando muito tempo isolados, fazendo coisas improdutivas e obsessivas e depois, quando percebemos que não fizemos nada de útil, a culpa só faz aumentar.

Ter um tempo de qualidade significa fazer algo produtivo, prazeroso e positivo. Algo importante para seu próprio desenvolvimento humano. Aprender a gostar de fazer coisas que fazem bem para o corpo e a mente é uma das principais maneiras de começar a escalar o poço da depressão.

Quando você ocupa o seu tempo, você para de alimentar pensamentos negativos, cria um motivo, um propósito para sair da cama, encontrar pessoas.

Se permita ter um novo hobby, como ler um livro, assistir filmes ou se exercitar. Faça coisas sem a pressão da produtividade, tire um momento de ócio verdadeiro, de contemplação. Dê um passeio. Você pode ter muito prazer e bons sentimentos com coisas simples.

Pratique exercícios físicos

Os exercícios físicos são fundamentais, especialmente em tempos onde precisamos ter um cuidado redobrado. A gente sabe que é difícil tirar energia em certos momentos, mas temos certeza de que, se você começar, pode ir recuperando o gosto.

Em vez da academia, tente se exercite ao ar livre. Ao final da tarde, ao sair do trabalho ou até mesmo pela manhã. Procure praticar séries mais confortáveis. Passeie de bike por lugares novos.

Tente conhecer atividades de baixo impacto, como a yoga, e agregue a ela a meditação, as duas têm importantes efeitos comprovados. Porém, caso se sinta mais confortável no ambiente de academia, saiba que está tudo bem!

Cuide da sua autoimagem e se organize

A forma como nos vemos faz toda a diferença. Um conselho importante é dar um tempo das redes sociais. Lá passamos muito tempo construindo uma imagem de nós mesmos para os outros e consumimos muito a imagem que os outros constroem para nós.

Que tal se cuidar para você mesmo? Investir em um acessório ou algum produto que você goste e faça você se sentir bem, não para chamar a atenção de mulheres ou parecer bem entre outros homens, mas para poder se olhar no espelho e se reconhecer.

A autoimagem também tem a ver com o nosso ambiente. Antes de tudo, organize o seu quarto. O quarto arrumado incentiva a nos “arrumarmos”, a arejar nossos sentimentos.

Comece a tomar notas das suas impressões sobre as coisas, sobre os seus sentimentos. Seja simples, o objetivo é que você revisite esses escritos um dia e perceba como o tempo passou, como passamos pelas coisas durante a vida, e como elas também passam por nós.

Cuide do seu sono e da sua alimentação

Açúcares, gorduras, alimentos processados, tudo isso têm efeitos poderosos sobre o corpo e também a mente. Distúrbios alimentares e do sono são muito comuns durante a depressão, e manter o cuidado para não descontar na comida e também não deixar a falta de apetite comprometer sua qualidade de vida.

O sono é uma das partes mais delicadas. Às vezes sofremos com insônia, às vezes não conseguimos sair da cama.

Evite a luz de eletrônicos e alimentos pesados antes de dormir, vá para a cama em horários regulares e experimente ler ou meditar. Manter o fluxo do sono regulado e a alimentação balanceada é fundamental não só em momentos de depressão, mas para a vida.

A Vorax dá muita atenção à saúde mental, porque quer ser um portal para homens que praticam o autocuidado e estão sempre em construção, criando seu estilo de vida. No nosso blog você encontra os melhores conteúdos sobre lifestyle, moda e muito mais, é só acompanhar nossas atualizações!

Até a próxima!

Sobre o Autor

Bruno Camacho

Bruno Camacho tem 29 anos, é formado em Marketing e pós-graduado na área de Neurociência. Sua paixão por moda masculina foi o pontapé inicial para fundar a marca Vorax Acessórios, com o princípio de oferecer acessórios modernos para os mais diversos estilos masculinos.

Sobre o Autor

Bruno Camacho tem 29 anos, é formado em Marketing e pós-graduado na área de Neurociência. 

Deixe um comentário

Este post contém 0 comentários by cristiano on 24 de agosto de 2021